Olá visitante

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Nós e a natureza

HÁ COISAS DE QUE VALE A PENA FICAR À ESPERA, MESMO DURANTE MESES!...

A nossa nespereira em NOVEMBRO estava carregada de flores que cheiravam muito bem. Esperamos e fomos observando a transformação das flores em pequenos frutos que foram crescendo, crescendo...


No final do mês de ABRIL estava carregada de nêsperas maduras e deliciosas que provamos e aprovamos. 

A lagartinha da arruda (papilio machaon)
Também no mês de NOVEMBRO encontramos lagartinhas na planta da arruda.
Levamos algumas para a sala e colocámo-las num recipiente transparente para podermos observá-las. Achamo-las lindíssimas com as suas cores e riscas.

A Fátima estava encarregue de alimentar as lagartinhas, porque a arruda não cheira muito bem e é uma planta medicinal, não sendo conveniente as crianças mexerem-lhe. Sabemos que há plantas em que não podemos tocar. As lagartas são muito comilonas. Quando ficaram bem gordas deixaram de comer e penduraram-se na taça, transformando-se numa pupa. Aprendemos uma nova palavra muito difícil de dizer: METAMORFOSE. Ficamos à espera e nunca mais acontecia nada, mas num belo dia de MAIO...
 Que bela surpresa tivemos...UAU!  Tão linda, venham todos ver!!! A bela borboleta cauda - de - andorinha tinha saído da pupa e estava a bater levemente as asas. Estava com certeza a exercitá-las ansiosa por ir voar.Tinha acontecido a metamorfose.
 
Ficamos todos maravilhados e fomos mostrar aos amigos da outra sala. 
 

Então e agora que fazemos? Claro que todos sabiam que tínhamos que ir libertá-la na natureza. E assim fizemos. Abrimos a proteção que tínhamos colocado na taça, mas a borboleta não quis voar logo, para nosso encanto. Pudemos observá-la mesmo bem. Vimos os olhos, contamos as patas, observamos as cores...



E depois inesperadamente levantou vou. Foi tão rápida que desapareceu mesmo em frente aos nossos olhos. BOA VIAGEM BORBOLETA.

 

sábado, 13 de maio de 2017

Descobrir a cortiça

Visitamos o Museu Municipal de Coruche. Aprendemos muito sobre o sobreiro e a cortiça. Observamos e exploramos este material. Verificamos que não afunda, numa atividade experimental e realizamos alguns trabalhos.
Observamos e tocamos num pedaço de cortiça em bruto.

Vimos alguns produtos feitos com cortiça, como rolhas e corticite.

Observamos alguns utensílios e ficamos a saber que muitos outros são feitos com cortiça, como sapatos, leques, chapéus de chuva, etc.

No Museu, pudemos observar um pedaço de cortiça fossilizada.

Decoramos a primeira letra do nome com rolhas inteiras e outras cortadas.

Construímos uma casa para os passarinhos poderem fazer o ninho sem apanharem chuva.


Fizemos recorte de formas geométricas em corticite e montamos bonecos.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Começou o bom tempo!

Fomos passear ao campo, perto do jardim de infância. Descobrimos  bichinhos, flores, folhas, paus, pedras, árvores... aventuramo-nos por caminhos e carreiros. Tentamos fazer "escalada" numa barreira. Observamos pássaros e formigas. Vimos uma semente de uma flor que se enrola em espiral. Corremos e apanhamos um pouco de sol. Colhemos flores do campo. Foi uma manhã de aprendizagens ao ar livre.

Olha, aqui há "maias"( nome de flor)... vamos levar uma para oferecer à amiga MAIA!

Depois de um belo piquenique toca a libertar energias.

Estas flores são as giestas. São amarelas e cheiram muito bem.

E aqui, o que será isto?
 
Olhem aqui as formigas no parque de merendas.

Aqui está um inseto que parece um escaravelho...será?

Quem consegue escalar até chegar às flores?

O regresso foi feito em fila indiana pelo estreito carreiro.


Com as lindas flores que colhemos experimentamos fazer desenho à vista. Não nos saímos nada mal!

sexta-feira, 31 de março de 2017

Dia do pai

Desenhamos os pais com lápis pastel seco sobre suporte preto.

                         

Pintamos pisa-papéis com pedras da calçada.

Criamos padrões nos sacos de embrulho.

 
Tudo para oferecer aos pais, porque eles merecem TUDO!!!

quinta-feira, 16 de março de 2017

Começou o bom tempo e nós...

Temos feito atividades no exterior com plantação de bolbos de flores, sementes diversas, batatas e muitas outras plantas. Gostamos de observar o seu desenvolvimento e de as regarmos.
Fizemos uma instalação em forma de espiral, com vasos improvisados com pacotes de leite. A vedação do espaço junto à caixa de areia ficou mais bonita.
O reaproveitamento de materiais incute nas crianças mais respeito pelo ambiente.

As atividades experimentais ajudam a criança a compreender melhor o mundo que as rodeia.
Observar as transformações na natureza desperta a curiosidade da criança.

A instalação dos vasos em forma de espiral, como as crianças observaram nas cascas dos caracóis.


 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Diego Rivera

No Carnaval vamos mascarar-nos de mexicanos. Aprendemos algumas coisas sobre o México e   conhecemos algumas obras do artista e muralista Diego Rivera.
Cá está a nossa ideia de como vamos ficar no Carnaval.


 Gostamos de ver os murais que Diego Rivera pintou e pensamos pintar também um mural. Descobrimos um muro nas traseiras do jardim de infância que estava muito feio, já sem tinta. 
As crianças a observarem o muro feio e a pensarem no que iriam pintar.
 
O mural foi iniciado com muito entusiasmo.


Agora quase que esquecemos a cor feia que o muro tinha.

Parabéns aos "muralistas".


Fizemos também caricaturas do Diego.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Land Art



Conhecemos o artista Richard Long que é um pintor, fotógrafo e escultor inglês.
Richard Long é conhecido por ser um artista da  Land Art. Realizou trabalhos fora das galerias mas  também dentro delas. Juntava e agrupava materiais encontrados na natureza em localidades específicas e posteriormente organizava-os em conjuntos geométricos dentro das instituições artísticas. Entre as suas obras fez trabalhos com lama. Tal como ele experimentamos criar a partir da lama e recriamos uma das suas obras num painel coletivo.

 


 
 Obras de Richard Long. Uma em plena natureza e as outras dentro da galeria.


Pintamos com as mãos utilizando lama imitando o artista e pintamos também com o pincel.   

Gostamos de ver as suas obras com espirais e círculos e escolhemos uma em espiral por nos lembrar os caracóis, para recriarmos.



Em trabalho colaborativo com as alunas estagiárias surgiu a obra.  

 Observamos também outros trabalhos do artista e descobrimos num puzzle mais uma obra que nos inspirou. E era tão fácil  recolhermos materiais no espaço exterior e tentar fazer também uma obra inspirada na Land art. Porque não as folhas do plátano?... E lá fomos dar início à obra...




Com tantas folhas no chão foi muito rápida a recolha.

E a obra foi realizada no espaço exterior em frente à sala de atividades.

E todos trabalharam com muito interesse.


Finalmente ficou concluída a obra para alegria de todos. UAU!!! Conseguimos!!! E agora, se soprar o vento? Não faz mal podemos voltar a fazer com outros materiais que não voem.